Neil Young – After the gold rush

After the gold rush, devo dizer, é um clássico. Não há porque omitir essa informação, visto que ela já deve(ria) ser de senso comum. Vale ressaltar, porém, que esse não é um clássico pura e simplesmente por ser tratar de uma obra do grande Neil Young. Até porque o canadense de cara fechada já teve alguns trabalhos bem menos – digamos – importantes. Essse é um Clássico com C maiúsculo por ser, sem medo de exageros, um dos discos mais emocionantes da história.

Baseado em um roteiro de mesmo nome, o disco foi originalmente concebido como a trilha sonora do possível filme, que ,por motivos que desconheço, nunca viu a luz do dia. Felizmente, com a exceção de duas faixas, After the Gold Rush não se limitou a ser uma espécie de trilha sonora fantasma. Se tornou, na verdade, um álbum íntimo e pessoal, em que Neil expõe e trata de algumas de suas maiores preocupações.

Com isso dito, há de se ressaltar a dualidade sonora do disco. Contando com duas faixas elétricas, além das tradicionais músicas acústicas, fica evidente o tom que se manteria por boa parte da carreira do lider dos Crazy Horse. Uma particularidade, aliás, é a ausência da sua tradicional banda de apoio, o que pode explicar o tom mais leve do disco.

Assim, em meio a uma rara atmosfera, o disco se abre com a lamuriosa Tell me Why. A canção, tristonha e melancólica, é reflexo de várias perguntas e questionamentos recorrentes de Neil, sem uma direção e em todas ao mesmo tempo. Em seguida, vale ressaltar a trinca “After the gold rush/Only love can break your heart/Southern Man” que começa com uma das baladas country mais emocionadas e inspiradas da carreira de Neil e termina com uma das músicas mais pesadas do disco.

After the Gold Rush, em especial, é a a faixa mais bonita de todo o disco. Com suas mensagens ambientalistas, ela já estava a par com os mesmos problemas que nos praguejam hoje. Além disso, em “thinking about what a friend had said, I was hoping it was a lie” Neil põe uma das frases mais abertas e profundas de sua carreira. Todos nós, sem exceções já tivemos que nos deparar com aquela informação ambígua, dentre a verdade que dói e a mentira que afaga.

Chilax

A própria Southern Man também é das principais do álbum. Com sua letra polêmica, ela lembra do passado sangrento e abusivo do Sul dos Estados Unidos com seus filhos, indo contra a própria noção de igualdade e liberdade que – na teoria – até hoje sustentam a nação. A música, que tornou Neil numa persona non grata para muitos sulistas, é das mais marcantes e carregadas do álbum, contando inclusive com um dos solos primorosos de Young na guitarra elétrica.

Porém, apesar de sua grande carga emocional, o álbum é bem contido, o que por vezes diminui seu brilho. Assim, apesar de conter diversas músicas clássicas, o disco vai lentamente perdendo seu ímpeto a partir de sua metade, o que leva a crer que funcionasse melhor como uma coleção de singles. O momentum perdido desvaloriza as músicas finais, que, apesar de tão boas quanto as primeiras, acabam perdendo o foco do ouvinte por conta de sua sonoridade similar.

De qualquer maneira, o disco prossegue com a qualidade usual do mestre canadense. Portanto, sem dúvidas recomendo esse álbum a qualquer pessoa que se interesse por música popular. Apesar da voz “incomoda” (para alguns, não no meu caso) de Neil e da perda de impacto, esse é um dos discos que sempre merecerá ser revisitado, nem que apenas para relembrar e reaflorar as emoções que ali estão depositadas. Como disse no início da postagem, um Clássico com c maiúsculo.

Aproveito também pra deixar os informes de sempre: o link esperto pro stream no Grooveshark; e a nossa página do Facebook! E para finalizar, a novidade da vez! Pros interessados, nós do garagem criamos um grupo de facebook para falarmos sobre música (ou não)!

Anúncios
Etiquetado , , , , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: